Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Maratona será realizada totalmente on-line entre os dias 7 e 9 de agosto. Inscrições estão abertas.

Desenvolver soluções tecnológicas para o turismo durante o curto período de apenas 50 horas. Este será o objetivo dos participantes do 5º Hackatour Cataratas, evento que será realizado totalmente on-line entre os dias 7 a 9 de agosto sob a organização do Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) e da De Angeli e Empreendimentos.

O evento – que tem a parceria estratégica do Sebrae Paraná e da UniAmérica - é direcionado para designers, programadores, analistas de sistemas, engenheiros, empreendedores, acadêmicos e demais interessados em inovar na área do turismo. Os interessados podem realizar as suas inscrições por R$ 35 no site www.hackatour.com.

Os três projetos apresentados pelas melhores equipes do Hackatour serão automaticamente selecionados para o processo de pré-incubação oferecido pelo PTI-BR, com direito a uma bolsa-auxílio no valor de até R$ 1100,00, por até dois meses, para aperfeiçoarem os seus negócios.

Durante esse período, os novos empreendedores poderão contar com uma assessoria completa oferecida pelo Parque com treinamentos e o auxílio de profissionais especializados para ajudá-los a transformarem a ideia em negócio. Além disso, eles terão a oportunidade de integrar o ecossistema de inovação do PTI-BR.

“O turismo é um setor de grande importância para o desenvolvimento econômico de Foz do Iguaçu e região. Como o momento atual exige muita criatividade de todos do setor, enxergamos no Hackatour uma oportunidade interessante para o surgimento de novos negócios”, destacou Rafael Campos, analista de Negócios do PTI-BR. O Parque Tecnológico também estará representado no time de mentores do evento.

As três melhores equipes da maratona também terão direito a 10 horas de consultoria e imersão juntamente ao Sebrae Paraná, e as duas melhores receberão uma premiação em dinheiro (R$ 3 mil para os vencedores e R$ 2 mil para os vice-campeões). “Mais do que qualquer tipo de premiação, o Hackatour incentiva a inovação em soluções para o turismo, e pode ser o pontapé inicial de startups que farão a diferença no Paraná e no Brasil”, destacou Paulo Angeli, idealizador do Festival das Cataratas e diretor da De Angeli Eventos e Empreendimentos.

Para auxiliar nas etapas de “Descoberta”, “Ideação”, “Prototipação” e “Validação”, a comissão organizadora está preparando uma programação intensa de atividades, como webinars e mentorias. A abertura oficial poderá ser acompanhada pelo público na sexta-feira, 7, às 14h.

O prazo para a entrega das soluções encerra no domingo (9), às 23h. Os 10 projetos finalistas serão anunciados no dia 13 de agosto, e um dia depois ocorre a premiação do evento.

TARS: caso de sucesso

Caso as startups selecionadas no Hackatour passem da fase de pré-incubação para incubação no PTI-BR, elas poderão ter uma trajetória semelhante à das estudantes Bianca Lahm Gomes e Natália Teixeira Gabriel da Silva, sócias da TARS, uma das empresas incubadas no Parque Tecnológico.

O primeiro passo das empreendedoras ocorreu justamente durante o Hackatour Cataratas, quando venceram a edição de 2019 e puderam transformar uma ideia (a de um aplicativo de realidade aumentada para a divulgação e promoção de atrações turísticas) em negócio por meio do processo de incubação oferecido pelo PTI-BR.

De acordo com Bianca Lahm, participar do Hackatour representou uma oportunidade de ampliar a sua visão e de ter novas percepções. “A maratona te coloca frente a desafios que precisam ser superados para que você possa alcançar o objetivo. Isso acaba sendo uma experiência que vai além da parte técnica, pois permite conhecer pessoas e ter contato com novas ideias para te inspirar”, explica.

Com a ajuda do Parque, as sócias começaram a visualizar a solução que desenvolveram como um negócio. “Paramos de pensar apenas como cientistas da computação e nesse tempo tivemos a oportunidade de pesquisar e conhecer mais a fundo o mercado, definindo nossos pontos fortes e pontos fracos, adaptando a ideia à realidade do setor conversando com  potenciais clientes”, complementa Natália.

O TARS (“Travelling Augmented Reality Solution” ou “Solução de Realidade Aumentada em Viagem” na tradução literal) atualmente está em fase de prospecção de clientes.

Asimp/Fundação Parque Tecnológico Itaipu – Brasil 

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios