Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Espalhada sobre setes colinas, margeada pelo rio Tibre e protegida por muralhas que resistiram ao tempo, Roma se mantém hoje com a mesma majestade e realeza que tinha quando foi capital de um dos maiores impérios da terra. Passados quase  3 milênios desde sua fundação, Roma ainda é uma das cidades mais importantes do mundo, guardiã de uma herança histórica invejável e de um patrimônio artístico e cultural que poucos lugares no planeta possuem. Um lugar onde mitologia, história, arte e beleza se encontram e se completam. Uma cidade única! Um lugar especial!

A cidade de Roma nasceu nas margens do Rio Tibre, em uma colina batizada de Palatino. Segundo a tradição, foi fundada em 753 A.C. por dois irmãos, Rômulo e Remo, que abandonados na floresta, foram adotados e amamentados por uma loba. Conta a lenda que na idade adulta, em uma luta pelo poder, Rômulo matou Remo e se tornou o primeiro rei de Roma. A colina do Palatino, onde se passa esta lenda, existe até hoje, embora alterada pelas inúmeras ruínas que se espalham por seu cume. Por ser um lugar tão emblemático, nela foram construídos os palácios dos governantes e imperadores. Aos pés do Palatino, a cidade cresceu e estendeu seu domínio por todo o mediterrâneo. Roma é uma cidade onde séculos de história se sobrepõem em camadas. A cada nova obra feita na cidade, afloram tesouros arqueológicos que se somam ao seu já vasto e rico patrimônio histórico. A região do Fórum Romano é um bom exemplo disto. Aqui, foram descobertos grandes palácios, monumentos, templos e basílicas que testemunham a grandiosidade e a importância do antigo império através dos séculos.

 
Uma das construções mais conhecidas da cidade é o Coliseu, também conhecido como Anfiteatro Flaviano. Foi construído no primeiro século da nossa era e podia abrigar até 70 mil  espectadores. Neste anfiteatro aconteciam lutas colossais entre gladiadores, escravos e animais. O exemplo máximo da política de "pão e circo" implantada pelos imperadores romanos. Ao lado do coliseu, outras estruturas chamam a atenção. Uma delas é o Arco de Constantino, construído para celebrar suas vitórias militares. A partir dele começa um caminho que nos leva até outra maravilha da antiguidade, o Circus Maximus. Aqui existia um imenso estádio, onde aconteciam corridas de cavalos, bigas e quadrigas (carros puxados por 2 ou 4 cavalos).

A Roma antiga se desenvolveu sobre sete colinas e chegou, em seu apogeu, a ter uma população de um milhão e meio de habitantes. A maioria deles mora dentro de suas muralhas, que resistindo ao tempo, permanecem imponentes ao redor do centro histórico. Das colinas originais, a mais importante é  a Capitolina, situada ao lado do Fórum Romano. Chega-se ao seu cume através de uma grande escada ladeada pelas estátuas dos mitológicos irmãos Castor e Polux. No topo, a praça projetada por Michelangelo é rodeada por três palácios onde estão instalados os Museus Capitolinos, um dos mais importantes da Itália e onde estão guardados inestimáveis tesouros artísticos e arqueológicos. Outro lugar que merece uma visita é o Castelo de San Ângelo, construído fora dos muros da cidade, nas margens do rio Tibre. Foi concebido como uma tumba para o imperador Adriano, mas depois foi transformado em uma fortaleza, utilizada por muitos papas como refúgio em tempos de guerra ou de pestes. Hoje, abriga um museu cujo maior acerto são os quartos papais ricamente decorados por afrescos com motivos cristãos e mitológicos. Do alto das muralhas do castelo se avista a imponente Cidade do Vaticano. O Vaticano é um país soberano encravado dentro da cidade de Roma. Foi criado em 1929 e possui seu próprio governo, justiça, economia e exército. É certamente o lugar mais visitado de Roma e seu principal atrativo é a Basílica de São Pedro. Esta gigantesca igreja é a maior do mundo cristão e foi construída sobre o local onde se acredita estar o túmulo do apóstolo São Pedro, torturado e morto sobre a colina do Vaticano. Nesta magnífica construção, que demorou décadas para ser terminada, trabalharam grandes mestres como Rafael e Bernini. A cúpula da basílica foi idealizada por ninguém menos que Michelangelo e tem 43 metros de altura. Desde seu mirante, se tem uma visão privilegiada de toda Roma e especialmente dos famosos Jardins do Vaticano.

Quem visita a Basílica, não pode deixar de conhecer os imperdíveis Museus do Vaticano. Estes reúnem um dos maiores tesouros artísticos da terra e guardam obras de grandes artistas como Boticelli, Rafael e Caravaggio. A Capela Sistina, parte integrante dos museus,  é um dos lugares mais procurados pelos turistas. Foi construída pelo papa Sisto IV e reúne o maior conjunto  de obras de grandes mestres renascentistas de que se tem notícia. Os afrescos laterais retratam passagens da vida de Jesus e de vários profetas bíblicos. O teto, obra de Michelangelo, retrata cenas da Criação e do Dilúvio.

Outro lugar que pertence ao Vaticano, embora esteja fisicamente separado dele, são as catacumbas. Estas enormes tumbas coletivas foram construídas fora da cidade e lá foram enterrados milhares de cristãos. Já foram descobertas mais de 40 catacumbas ao redor de Roma. As mais conhecidas são as de São Sebastião, de São Calisto e a de Domitilla, famosa por ter uma igreja em seu interior. Os túneis de cada catacumba podem se estender por mais de 20 quilômetros em vários níveis abaixo do solo. Neles, podem-se ver milhares de gavetas funerárias e pinturas religiosas que foram conservadas pela escuridão.

Mas Roma não se resume aos seus ícones. A verdadeira riqueza de Roma está nas ruas. A cidade está repleta de obeliscos egípcios, fontes majestosas e esculturas famosas. Elas estão por toda parte enfeitando fachadas, praças e igrejas. Uma das mais famosas está na igreja de San Pedro in Vincoli, é conhecida como o Moíses de Michelangelo. A fonte mais visita da cidade é certamente a Fontana di Trevi, construída no século 18 e visitada todos os dias por milhares de pessoas. Por ser uma cidade antiga e religiosa, Roma está repleta de igrejas. Segundo alguns, são mais de 500 delas espalhadas por todos os cantos da cidade. Uma das mais curiosas é a do Pantheon. Construída originalmente em 27 a.C., foi concebida para ser um templo aos deuses romanos. Somente em 609 d.C. foi consagrada como igreja cristã e permanece assim até hoje. Esta magnífica estrutura guarda em seu interior os túmulos de dois reis italianos e do grande artista Rafael, que morreu quando tinha apenas 37 anos. Seu Pórtico com 16 colunas de granito, sua imensa porta de bronze e sua cúpula aberta no centro, são exemplos marcantes das grandiosas estruturas do antigo império Romano.

Não só o Pantheon sobreviveu aos séculos, mas também um grande número de palácios, templos, teatros e monumentos. Eles estão espalhados por todo o centro histórico e a melhor maneira de conhecê-los é caminhando pela cidade. Perder-se em Roma não é um infortúnio. É sim, uma oportunidade de se conhecer a alma da cidade. Suas ruas estreitas, sempre repletas de cafés e pequenas lojas, freqüentemente terminam em praças repletas de fontes, obeliscos e gente, muita gente. As praças mais famosas desta cidade são a Navona e Espanha, esta última, conhecida pelas suas lojas de grife. A grandiosa Piazza di Popolo foi construída no local de morte e sepultamento do imperador Nero e é a porta de entrada para o maior parque urbano de Roma, a Vila Burguese. Na praça Campo de Fiori, todas as manhãs, é montado um mercado de frutas e flores. A Praça Veneza é o centro geográfico da cidade e onde está o maior e talvez, o mais imponente monumento da cidade, o imenso Vitoriano. Esta estrutura de 80 metros de altura, também conhecida como Altar da Pátria, foi construída em homenagem ao primeiro rei da Itália unificada, Vitorio Emanuelle II. É todo revestido de puro mármore e possui gigantescas estátuas de bronze. Um elevador leva os visitantes até seu topo de onde se tem uma visão de 360 graus da cidade. Não deixe de visitá-lo!

Para quem gosta de comer, Roma também é um paraíso gastronômico. Existem várias lojas que oferecem os melhores queijos e massas italianas, além de bares e restaurantes para todos os gostos e bolsos.  Um bairro interessante é o Trastevere, localizado do outro lado do rio Tibre. Este é um dos lugares mais agitados da cidade e onde se encontram muitas opções gastronômicas a preços bem interessantes. O bairro também abriga a igreja considerada uma das mais belas de Roma, a basílica de Santa Maria in Trastevere.  Próximo a Trastevere, está o bairro judeu, também conhecido como Gueto. É tão antigo quanto Roma e é uma excelente opção para almoçar e passear. Além de bons restaurantes e iguarias Kosher, você também pode conhecer o museu da história judaica italiana e a antiga sinagoga, uma das maiores da Europa.

Muitas outras boas surpresas o aguardam nas ruas de Roma. Porém, é preciso tempo e pernas para encontrá-las. A cidade é servida por um bom sistema de ônibus e metrô, que permitem chegar a todos os pontos de interesse com facilidade. Para quem deseja conhecer os principais atrativos, recomendo ficar na cidade de 4 a 6 dias. Porém, se desejar conhecer Roma a fundo, faça as malas e mude-se para lá.  Não tem outro jeito! Roma justifica ser chamada de Cidade Eterna e certamente ficará eternizada em seu coração.

Peter Goldschmidt
Para saber mais entre em contato conosco através do site da Gold Trip – www.goldtrip.com.br
Peter é membro da Família Goldschmidt que desde 1999 viaja pelo mundo descobrindo e divulgando novos roteiros turísticos. É também diretor da agência de turismo Gold Trip - www.goldtrip.com.br  -   Fone: (11) 4411-8254
http://www.goldtrip.com.br/pacotes-para-italia/
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Vídeo - http://www.goldtrip.com.br/viaje-comigo-italia/

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios