Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Em 2018 o município havia conquistado o primeiro lugar no Estado e em 2º lugar na categoria de municípios com até 50 mil habitantes

O setor de Saúde Bucal da Prefeitura do Município de Ibiporã acaba de conquistar o 1º lugar no Prêmio Nacional de Saúde Bucal 2019, que é desenvolvido pelo Conselho Federal de Odontologia, e que premia os municípios brasileiros que se destacam na implantação de Políticas Públicas de Saúde Bucal. Em 2018 o município já havia conquistado o primeiro lugar dentre as cidades do Paraná e a 2ª colocação na categoria de municípios com até 50 mil habitantes.

Nove municípios serão premiados por se destacarem na implantação e efetivação de políticas públicas de saúde bucal, em prol da melhor prestação de serviço a população em todo o país. Dentre eles está Ibiporã que ficou em 1º lugar na categoria de municípios entre 20.001 e 50.000 habitantes. A cerimônia de premiação será no dia 27 de novembro, em Brasília/DF.

Além do certificado e do troféu, o principal prêmio a ser recebido será uma cadeira odontológica completa, com mochos e equipo para acionamento e controle de seringas tríplice, micromotores e turbinas; suctor para coleta de dejetos através de cuspideira/sugadores e refletor odontológico. O equipamento será mais um reforço para o atendimento à população ibiporaense.

Prêmio às Prefeituras

O prêmio Brasil Sorridente/Conselhos de Odontologia instituído pela Resolução CFO-65/2005 (atualizada recentemente pela Resolução CFO-124/2013), é concedido anualmente a municípios brasileiros que se destacaram na implantação de Políticas Públicas de Saúde Bucal.

Primeira iniciativa nacional com essas características, o prêmio foi instituído em 2005 pelo Conselho Federal de Odontologia e os Conselhos Regionais, com apoio do Ministério da Saúde e o patrocínio da Dabi Atlante. Além do reconhecimento público, as prefeituras vencedoras são premiadas gratuitamente com um consultório odontológico completo.

Seu nome foi inspirado no programa Brasil Sorridente, do governo federal, que entre 2003 e 2010 investiu aproximadamente R$ 3,5 bilhões em ações de atenção à saúde bucal. A implantação dos Centros de Especialidades Odontológicas (CEO) e a ampliação das Equipes de Saúde Bucal (dentro da Estratégia Saúde da Família) estão entre os principais resultados do programa.

Para consolidar os avanços obtidos, é necessário o comprometimento dos municípios para a implantação de políticas públicas efetivas na área de saúde bucal. O prêmio Brasil Sorridente/Conselhos de Odontologia nasceu com a meta de estimular esse compromisso.

Municípios premiados

Nas edições de 2006 e 2007, os vencedores foram, respectivamente, Araguaína (Tocantins) e Duque de Caxias (Rio de Janeiro). Em 2008, a premiação passou a ser dividida entre dois municípios: com até 300 mil habitantes e com população superior a 300 mil. Caratinga (Minas Gerais) e Campo Grande (Mato Grosso do Sul) foram os vencedores.

Em 2008, a entrega aconteceu em Brasília, no Palácio do Planalto, com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do ministro da Saúde José Gomes Temporão e do coordenador nacional de saúde bucal Gilberto Pucca, além das principais lideranças da Odontologia nacional, deputados, senadores e prefeitos.

A partir de 2010, também concorrem à premiação os municípios com população entre 50 mil e 300 mil habitantes. Assim, passam a valer três categorias de premiados. A entrega do Prêmio volta a acontecer no Rio de Janeiro, durante a solenidade comemorativa de aniversário dos Conselhos de Odontologia, no mês de abril.

Veja abaixo a relação completa dos municípios vencedores desde 2006:

2006

Araguaína (TO)

2007

Duque de Caxias (RJ)

2008

Caratinga (MG) – Vencedor na categoria relativa aos municípios com população até 300 mil habitantes.

Campo Grande (MS) – Vencedor na categoria relativa aos municípios com população superior a 300 mil habitantes.

2009

Excepcionalmente nesse ano não houve premiação.

2010

São Gonçalo do Amarante (CE) – Vencedor na categoria relativa aos municípios com população inferior a 50 mil habitantes.

Estância (SE) e Horizonte (CE) – Vencedores na categoria relativa aos municípios com população entre 50 mil  e 300 mil habitantes.

Aracaju (SE) – Vencedor na categoria relativa aos municípios com população superior a 300 mil habitantes.

2011

Barracão (PR) – Vencedor na categoria relativa aos municípios com população inferior a 50 mil habitantes.

Cambé (PR) – Vencedor na categoria relativa aos municípios com população entre 50 mil  e 300 mil habitantes.

Anápolis (GO) – Vencedor na categoria relativa aos municípios com população superior a 300 mil habitantes.

2012

Itanhandu (MG) – Vencedor na categoria relativa aos municípios com população inferior a 50 mil habitantes.

Corumbá (MS) – Vencedor na categoria relativa aos municípios com população entre 50 mil  e 300 mil habitantes.

Curitiba (PR) – Vencedor na categoria relativa aos municípios com população superior a 300 mil habitantes.

2013

Porto Real (RJ) – Vencedor na categoria relativa aos municípios com população até 50 mil habitantes.

Resende (RJ) – Vencedor na categoria relativa aos municípios com população entre 50.001 a 300 mil habitantes

São Bernardo do Campo (SP) – Vencedor na categoria relativa aos municípios com população acima de 300 mil habitantes

2014

Canindé de São Francisco (SE) – Vencedor na categoria relativa aos municípios com população até 50 mil habitantes.

Resende (RJ) – Vencedor na categoria relativa aos municípios com população entre 50.001 a 300 mil habitantes.

Vitória (ES) – Vencedor na categoria relativa aos municípios com população acima de 300 mil habitantes.

2015

Ibiporã (PR) – Vencedor na categoria relativa aos municípios com população até 50 mil habitantes.

Resende (RJ) – Vencedor na categoria relativa aos municípios com população entre 50.001 a 300 mil habitantes.

Manaus (AM) – Vencedor na categoria relativa aos municípios com população acima de 300 mil habitantes.

2016

Excepcionalmente esse ano não houve premiação.

2017

Naviraí (MS) – Vencedor na categoria relativa aos municípios com população até 50 mil habitantes.

São Sebastião (SP) – Vencedor na categoria relativa aos municípios com população entre 50.001 a 300 mil habitantes.

Curitiba (PR) – Vencedor na categoria relativa aos municípios com população acima de 300 mil habitantes.

*com informações do site http://cfo.org.br

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios