Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

As novas moradias a serem executadas pela construtora receberão um investimento de R$ 90 milhões. Condomínio receberá aporte de R$ 5 milhões do Governo do Estado. Ratinho Junior ressaltou que Londrina está recebendo quase 2 mil moradias e mais de R$ 200 milhões para habitação.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior participou nesta sexta-feira (14) da assinatura de dois grandes projetos habitacionais para a cidade de Londrina: uma nova parceria com a construtora Pacaembu para a construção de 643 casas populares e a autorização para a licitação de um condomínio do idoso do programa Viver Mais Paraná.

As novas moradias a serem executadas pela construtora receberão um investimento de R$ 90 milhões do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), financiado pela Caixa Econômica pelo programa Casa Verde e Amarela, do governo federal. Elas se somam a outras 866 já contratadas no início de 2021 e que também contaram com o apoio do Governo do Estado.

Ratinho Junior destacou que, além de diminuir o déficit habitacional e garantir uma moradia digna para a população de Londrina, a construção do empreendimento também cria muitos postos de trabalho e ajuda a movimentar a economia da cidade. “Cada casa construída gera, em média, três empregos diretos, então falamos de milhares de vagas que serão criadas em Londrina só com os programas habitacionais”, disse.

“Executamos no Paraná um dos maiores programas habitacionais do País. A casa própria representa uma grande demanda e é um sonho de todos. Sozinhos, empresas privadas e o poder público não conseguem atender essa necessidade, por isso é necessário trabalhar em conjunto”, afirmou o governador. Ele ressaltou, ainda, que apenas Londrina receberá quase 2 mil casas novas nos próximos anos.

A participação estadual envolve a assessoria técnica da Cohapar e ainda poderá contar com outros benefícios do programa estadual de habitação, o Casa Fácil Paraná. Entre eles, estão a concessão de subsídios de R$ 15 mil para famílias com renda de até três salários mínimos que adquiram imóveis – nova modalidade do programa lançada pelo governador na última quarta-feira (12) – e contrapartidas da Copel e Sanepar.

Segundo o governador, 30 mil famílias serão beneficiadas pela nova modalidade do programa Casa Fácil, sendo que o Estado destinar R$ 450 milhões para esse subsídio. “O governo federal tem um bom programa habitacional, o Casa Verde Amarela, mas identificamos que algumas pessoas não conseguiam o valor de entrada do financiamento. Para que elas tenham acesso à moradia, o Governo do Estado criou esse dispositivo para custear a entrada”, explicou.

Parceria

A parceria com a construtora Pacaembu foi firmada por meio de um Chamamento Público aberto pela companhia a construtoras interessadas na construção de casas populares em todo o Paraná. O objetivo é ampliar as frentes de trabalho, aliando a produção de empreendimentos próprios com o apoio à iniciativa privada para facilitar o acesso da população à casa própria.

“Assinamos agora a segunda etapa de moradias que serão construídas a partir dessa parceria com a Pacaembu, e essas unidades já entram na nova modalidade lançada na quarta-feira”, destacou o presidente da Cohapar, Jorge Lange. “Os R$ 90 milhões que serão investidos nesse novo empreendimento se somam a outros R$ 110 milhões que foram destinados para a habitação em Londrina. São R$ 200 milhões de investimentos do Governo do Estado na cidade somente em moradias populares”.

O residencial Bem Viver Londrina será construído na região Norte da cidade, próximo ao bairro Cinco Conjuntos. O convênio entre o Governo do Estado, a construtora Pacaembu e a prefeitura de Londrina faz parte do programa Casa Fácil, da Cohapar, e é voltado para famílias com renda bruta mensal de R$ 2,6 mil. As 643 residências terão área de 46 metros quadrados cada uma.

“A maior perspectiva e importância disso tudo é o que esses investimentos em habitação representam na vida do cidadão. Várias famílias serão beneficiadas pelas casas que serão construídas, o idoso que não teria onde ficar e agora vai ter um lugar agradável para que ele possa viver a sua vida com todos os cuidados”, afirmou o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati.

Governador ressaltou que Londrina está recebendo quase 2 mil moradias e mais de R$ 200 milhões para habitação. Foto: Geraldo Bubniak/AEN

Terceira Idade

Com investimentos de aproximadamente R$ 5 milhões aplicados diretamente pelo governo estadual, o condomínio para idosos de Londrina contará com 40 moradias adaptadas para pessoas com mais de 60 anos, que poderão morar sozinhas ou em casal em um local com ampla infraestrutura de saúde, lazer e espaços de convivência.

Os beneficiários podem residir por tempo indeterminado no condomínio, a partir do pagamento de 15% de um salário mínimo ao mês. Após a desocupação, as unidades são redirecionadas pela Cohapar aos próximos pretendentes na fila, de acordo com as prioridades de atendimento, que levam em conta aspectos socioeconômicos e condições atuais de moradia.

O governador Ratinho Junior lembrou que o programa foi pensado para atender a demanda por habitação do público idoso, que tem mais dificuldade em conseguir financiamentos para aquisição da casa própria. O programa também foi pensado para garantir o convívio social entre as pessoas com mais de 60 anos.

“Muitos idosos gastam boa parte de sua aposentadoria com aluguel, sobrando pouca coisa para outros gastos. Além daqueles que, por diferentes motivos, acabam perdendo o convívio social com a família, os amigos ou pessoas da sua idade”, disse.

“O Condomínio do Idoso é um programa fantástico, que eu tenho muito orgulho, porque atende um público que ficou de fora dos programas habitacionais por muito tempo. O Brasil é um país que está envelhecendo, mas tem uma carência de políticas públicas para as pessoas idosas”, salientou Ratinho Junior. “Cada condomínio conta com uma estrutura completa, com academia ao ar livre, piscina para hidroginástica, horta elevada, pista de caminhada, além de outros atendimentos. É um ambiente onde ele viverá feliz até o resto de sua vida”.

O contrato prevê que os futuros moradores do conjunto recebem acompanhamento de médicos, enfermeiros e assistentes sociais do município periodicamente em suas residências. Além do trabalho dos técnicos municipais, a Prefeitura de Londrina contribuiu com a doação da área com mais de 12 mil metros quadrados, localizada no Jardim dos Alpes, para a construção do empreendimento.

Como participar

Os idosos interessados em participar da seleção do futuro condomínio e as famílias que desejam obter os benefícios do Governo do Estado em projetos com a participação do Casa Fácil devem fazer a inscrição online no site www.cohapar.pr.gov.br/cadastro.

Presenças

Participaram do evento o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara; o secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes; o secretário da Saúde, Beto Preto; o diretor-presidente da Invest Paraná, José Eduardo Bekin; Sérgio Carlos de Carvalho, reitor da Universidade Estaduall de Londrina; a coordenadora do Núcleo Regional da Casa Civil da Região Metropolitana de Londrina, Sandra Moya; os deputados federais Luísa Canziani e Boca Aberta; os deputados estaduais Tiago Amaral e Cobra Repórter; o presidente do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Bruno Ubiratan; e prefeitos e vereadores da região.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.